Fragmento na Madrugada 06

Deixaste o amor em desalinho
no chão da minha alma
- desmanchada.
Há que pegar nele devagarinho
e soprar-lhe sorrisos,
deixá-lo descompassado
com um renascer de carinho,
para que de novo lhe nasçam
borboletas na barriga.

(do blog "os ácaros do meu armário")

Nenhum comentário: