Lua Azul

Para potencializar seus rituais e pedidos. É uma energia reforçada que trabalha principalmente o seu eu interior, para se amar, se aceitar, se encontrar e para o amor.



A Lua Azul é o nome que recebe a segunda Lua Cheia de um mês, que é um momento especial de celebração, pois é um Lua de energia reforçada. É um tempo em que se pode buscar aconselhamento para caminhos espirituais, pedindo à Deusa que reforce os laços de conexão com você. Tradicionalmente, a Lua Azul é uma Lua do Amor, onde poderemos trabalhar todas as questões relativas a esse sentimento que move os mundos: o amor próprio, o amor pelo outro, o amor universal. A lua recomenda cautela com os relacionamentos e anunciam que é tempo de reestruturações. Acredita-se também que a Lua Azul começou a ser cultuada, inicialmente, entre os egípcios, com a substituição do calendário Lunar, que marcava o tempo usando as fases da Lua, pelo Solar, que introduziu o conceito do mês de trinta dias. Lua Azul é o nome que se dá à segunda Lua cheia dentro do mesmo mês. Um fenômeno que acontece, em média, uma vez a cada dois anos e sete meses, sete vezes a cada dezenove anos e trinta e seis vezes no século. Desde a antiguidade, a Lua Azul é considerada um acontecimento de muita força magnética e poder espiritual, reforçando o sentido de plenitude da Lua cheia A Lua Azul nos proporciona uma oportunidade a mais de tocar o divino, um aumento de consciência diante das forças sobrenaturais reforçando assim, o intercâmbio com os outros planos, reinos e dimensões. Por ser considerada um tempo entre os tempos, um momento raro, e por isso, muito mais poderoso e mágico, fica mais fácil alcançar o mundo entre os mundos por meio dela. É uma Lua de abundância, que permite colher muito mais do que plantamos. Os encantamentos têm maior poder e os resultados são mais rápidos. Pensamentos e desejos tornam-se mais intensos e, assim, qualquer ritual exige maior cautela em relação aos objetivos e pedidos. Mais do que nunca vale a advertência cuidado com o que pedir, pois você pode conseguir! Com o surgimento do calendário Juliano,no início do cristianismo, o culto à Lua Azul passou a ser reprimido por ser considerado uma exacerbação da simbologia lunar, do poder feminino e do culto às Deusas, assuntos perseguidos e proibidos. Mesmo assim, permaneceu sua aura romântica e poética e a Lua Azul passou a ser associada à crença de que era propícia ao romance e ao encontro de parceiros. a ser reprimido por ser considerado uma exacerbação da simbologia lunar, do poder feminino e do culto às Deusas, assuntos perseguidos e proibidos. Mesmo assim, permaneceu sua aura romântica e poética e a Lua Azul passou a ser associada à crença de que era propícia ao romance e ao encontro de parceiros. A Lua Azul é regida pela Matriarca da 13 Lunação.Ela é aquela que se torna a visão, a guardiã de todos os ciclos de transformação, a mãe das mudanças. Esta Matriarca nos ensina a importância de seguir nosso caminho sem nos deixar desviar por ilusões que possam vir a interferir em nossas visões. Cada vez que nos transformamos, realizando nossas visões, uma nova perspectiva e compreensão se abre, permitindo-nos alcançar outro nível na eterna espiral da evolução do espírito. A última visão a ser alcançada é a decisão de simplesmente SER. Sendo tudo e sendo nada, eliminamos os rótulos e definições que limitam nossa plenitude.

O folclorista canadense Philip Scock, após ter pesquisado indícios da origem da Lua Azul, afirma que a expressão é usada desde o século XVI para representar uma Lua cheia especial, perigosa, onde pode acontecer desatino e alucinação. Ao contrário do que o nome sugere, a Lua Azul é associada a perigos e desvarios, a desafios emocionais difíceis de viver, que requerem humildade e despojamento. É também, considerada um acontecimento de muita força magnética e poder espiritual, onde acontecem profundas purificações emocionais.

No ocidente, a Lua Azul, foi projetada como uma Lua romântica propícia ao amor e ao prazer. Na Astrologia, a importância da Lua Azul tem a ver com as práticas, que trabalham com a relação dos ciclos da Lua e o calendário gregoriano.

Na Wicca, a Lua Azul é usada para trabalhar as energias da Deusa Arianrhod, Senhora da Roda de Prata, que pode nos inspirar a ter ideais mais elevados e almejar melhoria não apenas para nós, mas também para nossos amigos e para toda a sociedade.

A lua Azul acontece quando a Lua Cheia cai no dia primeiro de um mês de 31 dias, no dia 31 teremos outra Lua Cheia, a Lua Azul. A Lua Azul acontece, em média, uma vez a cada dois anos e sete meses, sete vezes a cada dezenove anos e trinta e seis vezes num século. Isso se deve ao fato que um mês terrestre tem em média 30,5 dias enquanto o mês lunar tem 29,5 dias. Existe uma particularidade: podemos vivenciar dois meses, no mesmo ano, com Lua Azul. Isto acontece se a primeira Lua Cheia cair em primeiro de janeiro, pois como fevereiro tem apenas 28 dias, as próximas duas Luas Cheias se repetem em março. Tal fenômeno ocorre apenas quatro anos em cada século: o próximo será só no ano de 2018.

(Parte do texto de Héctor Othón, Astrólogo) 




Rituais da Lua Azul


Toda Lua Azul também é um tempo em que fica facilitada a conexão com o mundo das Fadas, com o Povo Pequeno. Nesta Lua celebre uma Deusa celta do amor: Aisling, Deusa Fada que propicia a seus cultuadores sorte no amor e a realização dos mais acalentados sonhos. Faça um altar com muitas flores, use música suave de flautas, velas multicoloridas e incenso de jasmim e ylang-ylang. Coloque em uma garrafa azul ou embrulhada em celofane azul, água mineral e a exponha aos raios da lua cheia para imantá-la com a energia desta Lua Azul. Use essa água em suas poções e banhos de amor durante o ano, banhe com ela seu espelho mágico para aumentar sua auto-estima; 

Pode-se criar uma atmosfera adequada a uma celebração da Lua Azul, usando velas e roupas azuis. Prepare água lunarizada expondo garrafas de vidro azul, cheias de água, aos raios lunares. Prepare um travesseiros dos sonhos enchendo uma fronha de tecido azul com flores de sabugueiro, lavanda ou alfazema, hipericão, folhas de Artemísia e sálvia. Imante cristais e pedras azuis como topázio azul, a safira, o berilo, a água-marinha, o lápiz-lazuli ou a sodalita. Usando músicas com sons da natureza, como pios de corujas, cantos de baleias ou uivos de lobos, permita que sua criatividade e intuição elevem-no(a) ao Reino das Fadas ou ao encontro das Deusas Lunares. Olhe fixamente para a Lua, eleve seus braços e puxe a luz da Lua para sua testa, seu coração e seu ventre. Conecte-se, em seguida, à Matriarca, pedindo-lhe orientação sobre as mudanças necessárias para alcançar uma real transformação. Permaneça, depois, em silêncio e ouça as mensagens e respostas ecoando em sua mente ou alegrando seu coração;

Faça no chão, em seu jardim, ou ao lado de seu altar, um círculo para as fadas virem dançar nessa noite. Trace o círculo com balas e pedacinhos de bolo, coloque no centro uma maçã e uma taça com água de fonte, ou água mineral. Convide o Povo Pequeno para esse círculo, pedindo à Deusa Aine, Senhora das Fadas, que ali compareçam as mais adequadas a seus objetivos. Sente-se de frente para o Círculo e coloque seu caldeirão no chão. Feche os olhos, respire profundamente 3 vezes e comece a ver uma Clareira na floresta, cheia de flores, com um perfume delicioso. Veja o povo pequeno dançando em seu círculo e perceba a chegada de Aisling, que dança graciosamente até que chega perto de você. Ela tem um rosto feliz, saúda você e ouve suas três perguntas: 
- Como eu posso me amar mais? 
- Qual a pessoa que pode partilhar comigo seu amor? 
- Que eu preciso fazer para que ela chegue até minha vida? 
Escute atentamente as respostas da Deusa e siga fielmente suas instruções. Volte pelos caminhos que tiver percorrido, tome consciência de seu corpo e siga fielmente as instruções de Aisling. Acenda em seu caldeirão uma vela azul para se amar como você é, uma vela rosa, para encontrar ou manter um (a) companheiro (a) ideal e uma vela roxa pelo amor universal.

Fonte: http://www.sollelua.xpg.com.br

Nenhum comentário: